quarta-feira, 28 de maio de 2008

TER DOIS OLHOS EM TERRA DE CEGO




Mais de quinze mil páginas e cinquenta anos de preparo.
O Oxford English dictionary corresponde a aproximadamente (em número de páginas) cinco dicionários Houaiss, o mais completo em Língua Portuguesa. A Macmillan company escolheu para editor do projeto o Dr. James Murray, presidente da Sociedade de Filologia da Inglaterra. Apesar de suas habilitações, logo Murray deu-se conta de estar diante de um desafio sobre-humano. Seria necessário um assistente!
Como num passe de mágica, surge Dr. W. C. Minors: este misterioso acadêmico, sabendo do projeto, remeteu uma carta ao Dr. Murray – estava disposto a colaborar. Um acadêmico que caiu do céu? O Dr. Murray, entre confuso sobre o desconhecido e com medo de transparecer sua desconfiança, respondeu ao Dr. Minors, simulando aceitar a ajuda. Talvez, pensava, Minors até nem estivesse mais interessado…
A segunda carta de Minors convenceu Murray que seu colega desconhecido era um gênio. Não demorou muito e ambos passaram a colaborar através de correspondências. As sugestões e contribuições do Dr. Minors eram cada vez mais valiosas. Apesar disto…
Sequer um encontro houvera entre os eruditos até então! Do Dr. Minors apenas se sabia o endereço: Crowthorne, Inglaterra. Decidido a conhecer seu colaborador mais próximo, o Dr. Murray convidou-o a ir para Oxford através de uma carta. A missiva que se seguiu contava da impossibilidade do Dr. Minors, por razões físicas, de visitar o colega. Porém, o Dr. Murray seria bem-vindo em sua residência.
Em alguns dias, o Dr. Murray viajou até a Wellington College Station; lá, um cavalheiro uniformizado o escoltou até a residência de seu genial correspondente. Para o choque de Murray, ele não encontrou um campus universitário ou a residência de um acadêmico excêntrico – pior: o Dr. Minors era interno no Broadmoore Asylum, que tratava de criminosos insanos! O maior colaborador do Oxford English dictionary não passava de um lunático perigoso!
Sobre o Dr. Minors, “é suficiente dizer que temos aqui um homem cujo conhecimento excedeu sua vida… cuja deslumbrante demonstração de discursos foi somente ultrapassada por seu confuso espetáculo de corrupção.” [1] Conhecimento, por si só, não possui o poder de transformar a conduta de vida. Mesmo que estejamos tratando de conhecimento da Bíblia.
Por vezes me surpreendo com o quanto as pessoas conhecem sobre a Bíblia ou a respeito de doutrinas, o que é, sem dúvida, algo positivo. Porém, se em sua experiência você tem decorado versículos bíblicos, e, ainda assim, fracassando espiritualmente nos mesmos pontos, já passa da hora de conseguir algo além de uma boa memória. Permita-me ilustrar:

A parábola do livre-docente

Então, o livre-docente dirá também aos que estiverem à sua esquerda: apartai-vos de mim, malditos, para a reclusão, junto aos tolos e ignorantes.
Porque vocês tinham a Bíblia, mas não examinaram todos os manuscritos disponíveis em Grego e Hebraico;
Porque vocês pregavam, mas não utilizavam meticulosamente comentários, concordâncias e Atlas bíblicos;
Porque vocês davam estudos bíblicos, mas deixaram de se preparar cursando o seminário teológico e fazendo uma especialização em Arqueologia bíblica em Jerusalém;
Porque vocês testemunharam, mas foram incapazes de preparar uma dissertação breve, com quatrocentas páginas de texto (fora a bibliografia) a respeito da história de sua denominação religiosa;
Toda vez que deixaste de estudar, deixaste de crer!

Por favor, não quero minimizar a importância do estudo. Nossa cultura brasileira já é bem-sucedida em fazê-lo. Ocorre que, de fato, é uma ilusão medir o cristianismo pelo que você conhece; cristianismo se mede pelo Deus que nós conhecemos através de uma convivência poderosa o suficiente para moldar nossa visão sobre quem somos, sobre a vida, sobre os valores e sobre nosso propósito em estar neste mundo. Conhecimento sem mudança é intelectualismo vazio, incapaz de impactar tanto a nós mesmos como os que nos cercam.
Mas, a exemplo do Dr. Minors, um grande número de cristãos tem seu discurso contrariado pela prática. Vera Paiva, professora da USP, e coordenadora de estudos sobre a sexualidade, especialmente entre jovens pertencentes a grupos religiosos, explicando o aumento da iniciação sexual antes dos dezenove anos de idade, afirma:

Quero chamar a atenção para o seguinte: mesmo diante dos dogmas, as pessoas conseguem ser sujeitas de sua própria sexualidade. Veja que esse estudo envolveu jovens que são líderes religiosos na sua comunidade. Eles participam, são ativos, militam. Os evangélicos afirmam que sexo fora ou antes do casamento é pecado e permitem ou mesmo recomendam contraceptivos, mas dentro do matrimônio. Quando você vai ver, uma proporção imensa deles transou antes do casamento - e sem preservativo. Então dizem uma coisa e fazem outra. [2]

Isso não acontece, evidentemente, apenas no aspecto da sexualidade, mas envolve diversas facetas da experiência. Ocorre que nossa época vê com desconfiança tudo quanto se relacione com regras. Há alguns anos, alguém detectou esse sentimento e traduziu na seguinte declaração:
“‘hoje em dia, um número crescente de pessoas sente cada vez menos restrições ou inibições interiores contra a desobediência de qualquer lei ou código moral que interfira em seus desejos ou impulsos particulares. Enquanto os estigmas sociais que eram atribuídos à quebra da lei e desvio da moral tradicional se enfraquecem, a distinção entre liberdade e libertinagem torna-se cada vez mais obscurecida no espírito do indivíduo. ‘A lei é vista como um inimigo a ser destruído ou passado para trás’. No final das contas, o único ‘pecado’ é ser ‘apanhado’.’” [3]
Aliás, não é à toa que um dos Best-sellers de espionagem tenha o curioso título: “O décimo primeiro mandamento: não te deixarás apanhar”! [4] Muitos cristãos parecem guardar apenas este mandamento…
A religião já não significa o mesmo para nossa geração em relação o que até então significara; testemunhamos um espírito religioso que se desenvolve “longe do controle e tutela institucionais”, que se multiplica em “formas originais de crença”. Tais crenças estão baseadas na “manifestação do divino”, não como produto de fé na Bíblia, mas, sim, devido à influência de um misticismo crescente. [5]
Essa nova religiosidade não busca a “verdade absoluta”, porque vê o “mundo espiritual” como algo que “não tem fronteiras”; agora o que importa são as “preferências” e “escolhas” do indivíduo – “Eu vou acreditar naquilo de que gosto e que me faz bem agora. Vou crer no que eu quiser neste momento.”
Mas as escolhas do indivíduo estão diretamente relacionadas com as da tribo, ou seja, de outros indivíduos, que partilham do mesmo gosto, opinião e afinidades. As tribos são, portanto, “grupos de interesses homogêneos.” [6] Por causa do novo fenômeno religioso moderno, as crenças se diluem e se misturam (chamamos a isso de sincretismo religioso).
Não é a primeira vez na história do povo de Deus que a fé verdadeira fica ameaçada por uma salada de crenças; sempre, em períodos como o que vivemos, Deus atua no sentido de levantar pessoas para viverem corajosamente os princípios revelados. Pessoas que possuam a visão correta de Deus, de si mesmas e de sua missão. Pessoas que saibam no que creem e porque devem crer de uma determinada forma. Mais ainda: Deus levanta o tipo de gente que pratique com coerência aquilo que é a verdade instruída por Ele. Em seu discurso de posse do primeiro mandato, em 1º de Janeiro de 2003, o presidente Lula declarou a respeito da reforma agrária: “As terras produtivas justificam-se por si mesmas.” Um princípio similar se revela na vida espiritual: os frutos que você produz revelam quem você é. Há um caminho para isso:

Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Romanos 12:2, NVI.

Devemos rejeitar as visões distorcidas deste mundo, suas falsas filosofias e correntes de pensamento contrárias à verdade bíblica; em seguida, devemos fazer diariamente um up-date, uma renovação, que começa na mente, apropriando-nos da Revelação divina (lendo a Bíblia, estudando, buscando compreendê-la); finalmente, estas ações concretas nos levarão à prática – experimentar e comprovar a vontade celeste em nossa própria vida cotidiana, em todos os seus aspectos. Num mundo cego espiritualmente, é preciso ter dois olhos, e bem abertos, para enxergar corretamente a realidade.

[1] Recontei o episódio a partir de Greg Herrick, The Life of the Mind, disponível em . Herrick, por sua vez, cita como fonte da história Paul Harvey, Jr. Paul Harvey's The Rest of the Story (New York: Bantam, 1997).
[2] Mônica Manir, Com fervor e autonomia, disponível em .
[3] Clare Boothe Luce, If Precente Social Trends Continue, Democracy ‘Is Bound to Collapse”, U.S. News and World Report, 5 de Julho de 1976, p. 65 e 66, conforme citado em Jerry White, Honestidade, moralidade e consciência (Rio de Janeiro, RJ: JUERP, 1990), 3ª ed.
[4] Jeffrey Archer , O décimo primeiro Mandamento: não te deixarás apanhar, in Seleções de Livros, Lieratura Estrangeira (Rio de Janeiro, RJ: Editora Reader's Digest do Brasil Ltda, 2001).
[5] Neste ponto, vale nos lembrarmos de que a própria mística (termo equivalente para misticismo) é definida como “uma experiência subjetiva e pessoal cujo centro é a ideia de união com Deus ou com o princípio fundamental de toda a realidade.” Carlos Eduardo Sell e Franz Josef Brüseke, Mística e Sociedade (Itajaí, SC: Universidade do Vale do Itajaí; São Paulo, SP: Paulinas, 2006), 18. Se a mística é subjetiva e pessoal, não é de se estranhar que a nova religiosidade, moldada por ela, apresente-se com estas duas características.

[6] Robson Ramos, Evangelização no mercado pós-moderno (Viçosa, MG: Editora Ultimato Ltda, 2003), 16, 86, 91-92. Para uma análise do influxo da religiosidade moderna na liturgia e músicas cristãs, ver Douglas Reis, A música sacra na cosmovisão adventista: analizando e interpretando conceitos de Ellen White, parte 2, disponível em e Douglas Reis, A canção e a vida, disponível em .


32 comentários:

Pr. Fábio dos Santos disse...

Parabéns Douglas por esse artigo bem elaborado.

Na História da filosofia há uma batalha acirrada para quem valoriza o conhecimento e quem valoriza a prática. Talvez por isso tenha surgido o termo "praxes"

Mas fiquei pensando no que seria mais importante: A Prática ou a Teoria?

A bíblia responde. Em Mateus 7:24 a 27, Jesus afirmou que as pessoas prudentes ouvem a palavra e as pratica. Portanto insensato seria aquele que construi a casa sobre a areia, sabendo que o local era inseguro...

A teoria sem a prática é insensatez... No verdadeiro cristianismo, a teoria deve levar a uma ação!!!

Mais uma vez, parabéns pela explanação consistente e que Deus continue te abençoando meu jovem.

Pr. Fábio dos Santos
nistocremos.blogspot.com

Paulo 3ªº CAJ - S disse...

Muito bom professor...

Deus nos deu vida e vida em abundância,
e essa vida é para ser vivida e não falada,
'sede pois praticantes, não meramente ouvintes da Palavra...'

Jesus disse que o homem que ouve (conhece) as suas Palavras e não as pratica é semelhante ao homem que construiu sua casa na areia; vinda as tribulações sua casa caiu. Mas o homem que ouviu as Palavras de Jesus e as praticou construiu sua casa na rocha. Também vieram tempestades, mas ele subsistiu pois estava firme, na Rocha.

Se olharmos para a Igreja em seu começo, os cristão não possuiam Bíblia, (não possuiam as cartas de Paulo, nem as de João, Pedro Judas, Tiago), e depois as populações foram impedidas de le-la (na idade das trevas). Mas foi nesse tempo que encontramos os Heróis da fé. "Homens dos quais o mundo não era dígno", homens fiés, que andavam com Deus. Esses homens viviam, e são as suas vidas (de oração, de amor...) que nos impactam. Muito mais que suas pregações...

Deus nos deu de graça sua Vida, e é desta mesma maneira que podemos gozar d'Ela. Deus quer que vivamos com Ele, obedeçamos a Ele, que amemos Ele; e por isso nos deu de Seu próprio Espírito, e por meio desse Espírito fica muito fácil viver a vida de Cristo.

"Não sou mais eu que vivo mas Cristo vive em mim, e o viver que tenho na carne vivo pela fé do Filho de Deus."

Vivamos a Vida de Deus, e que essa Vida fale.
Examinemo-nos e roguemos à Deus que nos auxilie nessa maravilhosa vida com Ele.


Glória a Deus!!!!!

Justin Rotert 3 ano caj disse...

Oi prof otimo exemplo e infelizmente é uma verdade em nossos dias cada vez mais pessoas dizem mas naum praticam

Isto me lembra de alguns versos na biblia q li recentemente em Mateus cap 23 onde Jesus condena a hipocrisia dos fariseus e dos mestres da lei, naum vou passar o capitulo inteiro pq vai ficar uma bagunça mas mostrarei alguns versos como em

MATEUS 23:3 ''Obedeçam-lhes e façam tudo o que lhes dizem. Mas não faám o que eles fazem,pois não praticam o que pregam.''



mateus 23:5 ''Tudo o que fazem é para ser visto pelos homens...''

Não desejo discutir com o paulo pois concordo com o que ele escreveu. Deus abençoe professor

JUSTIN ROTERT

Jeniffer Katarine 3ªº CAJ- S disse...

concordo tanto com o texto e tanto com os comntários. Acho que hoje em dia as aparências e a opnião alheia interessa mais para muitas pessoas que se dizem cristãs do que o verdadeiro amor por Cristo, do que a verdadeira entrega, sentimento.

Preocupam-se mais em agradar ou dizer que fazem algo, do que realmemnte fazer e viver aquilo que dizem.

Acho que quando andamos ao lado dEle,o que realmente irá importar é o que sentimos, o que mostramos naturalmente e não propositalmente.Devemos amá-lo acima de tudo,de todo o nosso coração e vivendo de acordo com a Sua vontade.

Natha Filipe Hoepers 3ão disse...

Muito bom este artigo Professor.

Ele nos faz pensar de como realmente estamos agindo.
Logo quando li lembrei do versículo da palavra de Deus que diz: Tudo que nós plantamos isso também vamos colher, ou seja, se hoje plantamos boas coisas ( No lado espiritual: Leitura da palavra, oração) na frente colheremos bons frutos (Uma vida mais profunda e íntima com Deus) o que nos ajudará a seguir neste mundo que já no próprio artigo fala “Num mundo cego espiritualmente” nos dando, nas palavras do artigo, olhos que enxerguem a vontade de Deus para nós, olhos que nos ajudem a fugir do mal para não pecar contra Deus.

Concordo com o Paulo e também com o Justin, existem muitas pessoas que se dizem Cristãs, mas que na realidade são como aqueles Fariseus que mostram na bíblia, pessoas hipócritas e que tem “duas caras”, pessoas estas que Jesus falava severamente contra. Isso mostra – se No texto bíblico que o Justin mostrou.

O Importante é ler interpretar a bíblia, mas para que possamos ter uma vida abençoada e feliz é necessário viver o que a Bíblia diz.

“Bem aventurado o Homem em que seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita de dis e de noite” Salmos 1:2

“Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” Romanos 8:28

Deus abençoe.


NATHAN FILIPE HOEPERS 3ÃO CAJ

Fabiana - 3ªº CAJ disse...

Este artigo nos lembra uma verdade "esquecida". A hipocrisia do homem está cada vez mais presente.

Nos encontramos em um mundo conturbado. Há infelicidade, conflitos, falta de esperança e do verdadeiro Deus na vida das pessoas.

A vida sem o estudo aprofundado da Palavra de Deus, é vazia e cheia de incertezas. Da mesma forma a prática. Porém "podemos conhecer mais e mais de Jesus por um interessado exame das Escrituras, seguindo então os caminhos de verdade e justiça assim revelados. Os que estão sempre crescendo em graça, são firmes na fé, e marcham avante." (Mensagens aos Jovens, E.G. White, p. 121)

O verdadeiro cristão deve buscar o conhecimento da pessoa de Cristo e viver da melhor forma possível, com Deus e com a sociedade. Com a alegria que vem unida ao conhecimento, deve testemunhar, ao contrário de "tristemunhar". Dessa maneira, sua luz irradiará na vida de outras pessoas.

A Bíblia alerta: "E fazei isto, conhecendo o tempo. Já é hora de despertarmos do sono, porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé. A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas e vistamo-nos das armas da luz. Andemos honestamente..."
(Romanos 13:11-13)

RAFAELA 3ªº disse...

Muito bom o seu texto professor, mostra realmente o que esta acontecendo nos dias de hoje, onde muitos vão a igreja, fazem grupos de estudo da Bíblia, mas não vivem o que escutam, e acham que apenas por estarem sempre na igreja, as vezes forçados pelos pais ou para manter uma aparência estão tendo uma vida de fato cristã, tendo um relacionamento com Deus.

Deus não quer que decoremos a Bíblia, ou que passamos todo o nosso tempo na igreja, presumo que Ele queria que conheçamos sua Palavra e sigamos os Seus Mandamentos, e mais do que isso, que seja Ele que viva em nós, como disse o Paulo, nos dando Seu imenso amor e Sua sabedoria para viver nesse mundo tão humano.

Concordo com as palavras de Paulo e de Justin,

Que Deus nos abençoe!

Rafaela Catarina Zanella

Jordane 3ªº disse...

"Conhecimento, por si só, não possui o poder de transformar a conduta de vida. Mesmo que estejamos tratando de conhecimento da Bíblia."

É uma frase deveras interessante. Eu concordo com a mensagem dela. Penso que a transformação de uma conduta de vida, pelo conhecimento, depende da razão pela qual nós queremos o mesmo. Eu, por exemplo, quero conhecimento em exatas para passar no vestibular e fazer Letras. Este conhecimento não enche meu cérebro de novidade, de felicidade. Pelo contrário, quase não suporto as exatas. Não é isso que eu quero. É somente uma ferramenta para uma obra. Eu o pratico e tento desenvolver por obrigação, não por vontade, e esta forma de praticar não será nunca uma forma agradável. O que eu quero dizer é, por mais que o conhecimento das exatas para mim tenha uma pequenina utilidade, não vou vivê-lo, nem ensiná-lo, nem praticá-lo. Logo, quando acabar o vestibular, 90 % dele vai ser dispensável. Com as letras é o contrário.

Assim precisa também acontecer na esfera espiritual. Há grandes teólogos que buscam conhecimento na Bíblia para se dizerem sérios estudiosos, doutores em religião, mas levam uma vida vazia, sabem quem foi Cristo mas não o vêem como "o caminho, a verdade e a vida". Conheci - não no sentido de intimidade da palavra - ateus que conhecem a Bíblia mais do que muitos cristãos que vão à Igreja e se sentam confortáveis nos confortáveis bancos, esperando confortavelmente algumas palavras que os façam parecer cristãos. Tal conhecimento muda as vidas deles? De certa forma, não do jeito que se espera, sim. Eles não se tornam cristãos, mas céticos e incrédulos. Por quê? Porque buscam na Bíblia fatos e contradições para alimentarem suas descrenças, e não buscam conhecer a Deus para viver para Ele. Céticos com opinião fazem isso. Eles têm interesse em ler a Bíblia, mas não querem o Deus da Bíblia. Todavia, eles humilham tantas pessoas cristãs que não se dão ao trabalho de conhecer as Escrituras. Ora, foi Jesus mesmo quem disse: "Examinai as Escrituras porque credes ter nelas a salvação, e são elas que de mim testificam".
Este versículo, na minha opinião, é fundamental para este assunto. Os céticos fazem a primeira parte, mas não pelo mesmo motivo que Cristo citou, já que eles não acreditam na salvação. Se cremos na salvação da qual a Bíblia fala, cremos no Deus da salvação. Mais do que acreditar, precisamos pregar o evangelho, ser imitadores de Cristo, espelhos de Jesus como ele foi de Deus, na Terra. Se não for assim, de nada Cristo nos aproveitará. O próprio Satanás conhece as Escrituras e demonstrou isso quando tentou Jesus. Os fariseus conheciam as Escrituras, entretanto, eram hipócritas e orgulhosos, gostavam de serem ouvidos e por isso oravam em voz alta para chamarem as atenções. É isto que Deus não quer.

Concordo com Paulo e Justin; Cristo precisa ser maior do que nós, em nós, para que possamos não só ter conhecimento e demonstrá-lo com palavras, mas sim ter conhecimento e mostrá-lo em atitudes, pois o conhecimento será vão na sua essência se nós não o aproveitarmos nem aprendermos realmente com ele. Será dispensável se não tiver utilidade. Porém, a cada vez que for usado se tornará mais valioso.

Daniel Alves Ferreira 3ªº CAJ disse...

Fez cada pessoa que ler meditar muito neste artigo parabéns.

Cada Relato que vemos, comentários se paramos pra ver cada um pode, disser de uma pessoa que esta na igreja e não vive o que deveria viver, uma vida com base na vida de Jesus, não viver como viveu Jesus com aquelas roupas mais sim com as atitudes (Paciência, benignidade, amor ágape, frutos do Espírito Santo) que ele teve, poderíamos ser Jovens, Adultos diferente.
Como é bom quando vemos pessoas perguntando se somos cristão e podermos dizer que sim, mas se nos não mostrarmos está vida de fé somos igual os jovens do artigo que diz que tem que viver assim e não vive ou não fazem.
Temos que ter os olhos bem abertos pois está terra é de Satanás, ele quer que jovens que “acham que conhecem a Bíblia”, ele que que eles caiam para que estes jovens fraquejam e não julgue, quem armo a cilada mais sim quem quer que você(todos nós) levante olhe para o alto e vença as tribulações; concordo com o Paulo fala e da sua referencia Bíblia se nos não edificarmos a nossa casa na rocha não seremos nada.
Se pensarmos numa historia infantil que todos ouvimos vamos entender mais, os 3 porquinhos, quem estiver lendo isso pode rir mais se você imaginar que o 3 porco fez a sua casa de alvenaria você vai ver que ele estava mais preparado para as coisas que poderiam ocorrer,a fé tem que ser assim mesmo que demoremos mais tempo, temos que ver que lá para frente vamos ter a boa noticia, como Jesus convidou Isaias para ser a sua testemunha Jesus convida nos para sermos a testemunha dele, “vos sois minhas testemunhas”disse Jesus. Como podemos fazer isso só fazendo a nossa casa na rocha e cumprindo a vontade de Deus, se entregando pela manha os pés do Salvador, assim vamos poder chegar no final da jornada e disser “combati o bom combate e guardei a fé” como disse o profeta Paulo.
E para pensarmos na Parábola se vermos o que vários escritores cristão falaram que a ate a própria bíblia diz que uma semente boa produz frutos bons, isso mostra que se você é um bom cristão você, vai produzir frutos bons*; não pode uma arvore de maça, produzir laranja, não pode um cristão que anda com cristo ter maus frutos, frutos que não são dele.
Se irmos mais afundo poderíamos escrever livros e livros pois vemos pessoas que estão dentro da igreja e não vive vamos ver em vários lugar... e varias igrejas, mas isso tem que mudar por nos, por mim( se é que você me entende), não desista que um dia você vai conseguir.


* frutos do Espírito Santo

Maria Gabriela - 3ªº CAJ disse...

Primeiramente, está muito legal o seu blog, e concordo com o seu artigo,mas as vezes nós mesmos dizemos que acreditamos em certas coisas que no fundo não acreditamos por inteiro, a nossa fé é curta. Lendo os diversos comentários, do paulo, nathan, justin, fabiana... vejo que terei um certo trabalho pra responder isso. Eles são bem informados.
O que o Paulo disse sobre a fé dos antigos é muuito legal e me ajuda as vezes, eles tinham tanta fé, confiavam tanto em Deus que muitos milagres foram operados naquela época e que nos dias de hoje pode ajudar a muitos que estão desfalecendo na fé, pois o pouco se tornava muito para eles e Deus os abençoava.
Nos dias de hoje Deus ainda opera no nosso meio, mas como, são profecias, o mundo evolui a ciência aumenta, muitas pessoas ficam vazias por dentro procurando algo para ocupar esse vazio, o mundo está inquieto, é uma correria para todos os lados.
Diversas igrejas aparecem, mas só uma salva, muitos se dizem cristãos mais não são, muitas igrejas surgiram ultimamente, e elas estão lotadas, se Deus está eu não sei, o que eu sei ou acredito é que A graça de Deus não é para os que querem e sim para os que Deus tem misericórdia, muitos correm para as igrejas para que o Senhor opere neles milagres materiais, muitos querem fama, dinheiro, riqueza, e se Deus quiser ele pode dar isso, mas muitos não sabem ser ricos, eles vendem a sua vinha para receber o mundo, por isso acho que feliz é o que chora, que se contenta com o pouco, que primeiro busca o reino de Deus, acredito que são esses os que Deus tem misericórdia.
Agora tem uns que tem olhos, mas não quer ver, ele sabe da verdade só que não a segue, tem medo. Nós somos como ovelhas que fomos reputadas para o matadouro, temos que estar lutando e vigiando sempre, não podemos parar de lutar, e Cristo com seu amor nos fortalece, os que aguentarem até o final e não trocarem a sua vinha estão com o lugar guardado no reino dos céus. Na obra de Deus temos que dar um bom testemunho, ser crentes de verdade, senão ficamos como o presidiario do seu texto(os nossos atos contrariam as nossas palavras), por isso devemos orar constantemente para que isso não ocorra.
Para acabar, o reino dos céus tem uma porta estreita estou olhando agora em Lucas 13:22 E percorria as cidades e as aldeias, ensinando, e caminhando para Jerusalém. E disse-lhe um: Senhor, são poucos os que se salvam? E ele lhe respondeu: Porfiai por entrar pela porta estreita; porque eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão. O importante não é quando você se entrega pra Deus, mas sim que você se entregue, mas não podemos demorar a misericórdia de Deus é grande, mas ela tem um limite também.
É isso... não sei se consegui alcançar a sua proposta, eu não sou muito conheceroda da bíblia igual o senhor... Um abraço e até a aula.

Esther 3ªº CAJ disse...

Legal o artigo...
Depois que eu li o artigo a minha irmã foi usar o pc e eu fui ler a Bíblia, e li justamente essa passagem:
“Não cesses de falar deste livro da lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido.”
Este versículo chamou muito a minha atenção por tratar do mesmo assunto que o artigo.
Na primeira parte do versículo, Deus instrui Josué a meditar na Lei de Deus, ou seja, ler a Bíblia e conhecê-la. Em 1 Timóteo 2:15, Paulo aconselha a Timóteo: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”. Como cristãos, precisamos conhecer a Bíblia. Como creremos em algo que não conhecemos? Como evangelizaremos se não conhecermos o evangelho? Como defenderemos nossa fé se não tivermos argumentos?
Contudo, conhecer a Bíblia não é suficiente. Na segunda parte do vesrsículo, Deus diz que precisamos praticar aquilo que aprendemos. Se não agimos como cristãos, não somos cristãos. Existe uma história de dois meninos que sentaram um do lado do outro na mesma sala da escola durante um ano inteiro. No último dia de aula um deles veio com uma camiseta com mensagem bíblica e o outro perguntou: “Nossa, você é cristão?”. Ao que ele respondeu: “Sou sim.”. E o outro: “Que legal! Eu também sou!”. Me pergunto: que cristianismo é esse? O verdadeiro cristianismo pode ser reconhecido através de nossas atitudes. Agir como cristão não significa nunca pecar, pois somos humanos, significa nos esforçarmos ao máximo para fazer a vontade de Deus e permitir que o Espírito Santo aja em nos, transformando-nos.
Afinal, “assim, também a fé, se não tiver obras, por si só está morta” (Tiago 2:17). Nossas atitudes, por mais perfeitas que sejam, não são capazes de nos salvar. Mas é através delas que demonstramos nossa fé e provamos que somos cristãos. “Vês como a fé operava juntamente com as suas obras; com efeito, foi pelas obras que a fé se consumou.” (Tiago 2:22)
Como jovens, às vezes é difícil agir de acordo com a Bíblia. O mundo todo parece estar determinado a nos convencer que, se somos cristãos, somos inferiores, ingênuos, ignorantes e infelizes. Na verdade ocorre o contrário. Somos mais felizes do que poderíamos ser de qualquer outro jeito. Eu conheço a Alegria Verdadeira, e quero que os meus amigos A conheçam também. Mas nem sempre falar é a forma mais eficaz. É através das atitudes que nós, cristãos, tivermos, que poderemos testemunhar de verdade.
“Ninguém despreze a tua mocidade, pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza.” (1 Timóteo 4:12) Essa palavra é direcionada especialmente a nós. Esta é a nossa missão.

Obs.: concordo principalmente com os comentários do Paulo, do Justin, e da Jordane.

Luana Boldt- Terceirão disse...

Muito bom seu artigo professor. Esse artigo me fez parar pra pensar em como o homem de hoje em dia procura a sua felicidade nas coisas errradas, geralmente nas coisas materiais. Todos falam de um mundo melhor, mas como melhorar o mundo se colocarmos prioridades como o dinheiro na frente de uma vida com Deus ?
Hoje em dia uma coisa que infelizmente se tornou comum é pessoas indo nas igrejas ouvindo da palavra de Deus, mas saindo da igreja exatamente como entrou muitas vezes cheio de problemas. De nada vai adiantar ouvir a palavra de Deus saber o que é certo o que é errado , saber versículos se nao vivermos intensamente para Deus.
Muitos hoje buscam em Deus a solução dos seus problemas mas o primeiro problema que Deus não resolver do jeito que a pessoa quer ela já larga de Deus, pois não entendem as respostas e o tempo do Pai.
Palavra de Deus pra nos diz : .."sede pois praticantes, não meramente ouvintes da palavra.."

"buscai primeiro o reino dos ceus e todas as ouras coisas vos serão acrescentadas."

Luiara Stephani Vieira 3°ão disse...

Bom artigo !!

Penso que muitas pessoas julgam por aparência hoje em dia, mas aparência não é tudo .
Concordo com muitos comentários aqui escritos, ótimos por sinal.
Nos dias de hoje se torna muito fácil se dizer cristão, mas na prática é outra coisa,mostrar amor, fraternidade, compreensão, nas atitudes e na tranformação.
É bom estudar a bíblia, ter uma comunhão com Deus, porém interpreta-lá da maneira correta faz parte do estudo.
O mundo está cada vez mais atrativo aos olhos, as leis parecem muros que cercam e aprisionam, mas nós cristãos sabemos que somente a lei de Deus que nos protege das artimanhas do mundo,somente Deus para nos afastar das tristezas e hipocresia deste mundo.

"O coração do homem traça o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos" Provérbios 16:9
Pense nisso Você pode fazer planos ter sonhos mais lembre-se sempre que Deus dirige seus passos.

Fique com Deus . Amém.

Francine 3º CAJ disse...

Parabéns pelo texto, você foi direto a um assunto que nos remete a várias dúvidas no dias de hoje.

Vivemos num lugar em que as pessoas dão muito valor ao que os outros pensam. As pessoas são influenciadas por coisas mundanas.

Os cristão devem ser um exemplo de vivência. Nós temos o modelo de vida cristã na Palavra de Deus. Devemos medita-la e viver conforme o que ela diz,esquecer todas as influências.
Estamos pecando e muitas vezes somos uma pessoa por dentro e outra por fora.
Muitos pensam, quando fazem algo errado ' Ah, ninguem está vendo', porém se esquecem que Deus vê o coração das pessoas, Ele sabe onde pecamos e agimos mau.
Quando falamos uma coisa e fazemos outra, Deus sabe, e no Juizo Final, nos deixara de lado pois pecamos.

Na parte que diz você é o que faz , nos lembra que devemos ter cuidado com o que falamos, somos responsáveis pelos nossos atos, e devemos astar cientes de sofrer as consequências numa vida eterna.
Os nossos conhecimentos bíblicos devem estar ligados a uma vivência com Deus.

Pedir ajuda ao Pai, viver conforme Ele deseja, por dentro e por fora, e ter um contato íntimo com Ele, são as únicas maneiras de enxergar a vida do ponto de vista cristão. Dissernir o que é bom e correto, olhar com os olhos de Deus, é o que precisamos para viver num mundo com falta de amor e repleto de pecado.

Marianna 3ão. disse...

Gostei muito do texto, do título (da qual eu posso tirar muitas lições), das passagens e especialmente do comentário dos meus colegas. Sinto que muitos deles são exemplos pra minha vida.

Semanalmente na minha igreja, as mensagens que mais tem destaque no culto são aquelas que exaltam os exemplos da Bíblia de atitude cristã e o modo que devemos encarar o mundo, como 'tipos de Cristo'.
Ótimo, até aí tudo bem. Não deixo de aprender a cada semana um pouquinho... Mas só na teoria. Até porque, entre irmãos cristãos, é socialmente indispensável que a pessoa se comporte bem.
Na prática, porém, a questão é pessoal. Tudo o que nos foi apresentado por palavras deve ser posto de uma forma dinâmica e efetiva em nossa vida.
Aí que entra o desafio, nadar contra a correnteza, afirmar pra si mesmo e pros outros o seu ideal de vida. E é necessário firmeza na fé para tal feito. Coisa que nem todo mundo tem.
Quando as pessoas aceitam realmente a Palavra de Deus, o Espírito as transforma internamente, em Espírito. As atitudes, os frutos do Espírito, são a conseqüencia.
Espero que todos consigamos chegar a esse ponto, e falar sem hesitar perante o mundo que nos cerca: Tenho 2 olhos nesta terra de cegos. Sou um tipo de Cristo! :)

"Deus é Espírito, e importa que os Seus adoradores O adorem em Espírito e em Verdade." João 4:24

Alysson disse...

Professor concordo com muita coisa que diz respeito a Deus.
Devo ressaltar que o fanatismo religioso me faz repudiar aqueles que tentam impor a sua religião a força. Por este motivo, tenho repulsa a isso. Não adianta querer ficar falando coisas bonitinhas em relação a religião, ficar fingindo algo que não sente.
Pura hipocrisia. Não se constrói uma imagem, dizendo coisas que não correspondem a realidade. É de uma falsidade invejável. Tenho de dizer que não deve-se abusar da pobre e ingênua mente de pessoas mais simples, que depositam toda a confiança, esperança, tudo o que tem em Deus.É de um covardia que me enoja.Espero que vossa excelência tenha entendido o recado. Até mais;

Ana Luiza Soares CAJ 3ªº disse...

Muito bom professor!!

Infelizmente, isso é uma verdade. Muitas pessoas pregam uma coisa, e na prática, fazem outra totalmente diferente.
E o problema, nem somos nós, mas os fracos na fé. Que veem os 'lideres' fazendo coisas que contrariam a a vontade de Deus. E esses pensam " para que eu devo seguir os principios divinos se 'eles' não seguem?". Assim, desviando dos caminhos do Senhor.

Outro erro que fazemos, é questionar Deus. Pois, muitas vezes nós olhamos certas partes da bíblia e não concordamos com ela. Sendo que nela mesma, está escrita que ela é a palavra de Deus, assim sendo a pura verdade. E se estamos achando algo de 'errado' nela, é porque Deus está errado. Mas Deus não erra, nos levando a conclusão, que em vez de acreditar em Deus e termos fé, tentamos ser superior ao nosso Criador.

" Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado e salva os de espirito oprimido" SL 34:18

" Amanhã, descerei contra eles; eis que sobem pela ladeira de Ziz; encontrá-lo-eis no fim do vale, defronte do deserto de Jeruel. Neste encontro, não
tereis de pelejar; tomai posição, ficai parado e vede o salvamento que o Senhor vos dará, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã, saí-lhes ao encontro, porque o Senhor é convosco." Cr 20:16 e 17.

PRECISAMOS TER FÉ!!

Carla 3ª° disse...

Uma música que resume muito bem tudo isso é Sorte tem quem acredita nela de Fernando Mendes "Não adianta um pé de coelho
No bolso traseiro
Nem mesmo a tal ferradura
Suspensa atrás da porta
Ou um astral bem maior que
O da noite passada,
Pois toda sorte tem quem
Acredita nela
Não é preciso dizer
Que dará recompensa
Não faça isso há muitos que
Gostam de criticar
Esperam a sorte sentados sem sair
Do lugar
Mas toda sorte tem quem
Acredita nela

(Refrão)

Não adianta ir a igreja rezar e
Fazer tudo errado
Você quer a frente das coisas
Olhando de lado
O céu que te cobre não cobra a
Luz da manhã
Desperte pra vida, acredite,
A sorte é irmã"

As vezes precisamos fechar os olhos e acreditar em um desconhecido, sei que isso nos tempos de hoje é difícil, mais Deus confiou em nós, assim como Cristo também confiou. Quem sabe você não se surpreenda? Basta confiar!
Precisamos nos renovar constantemente como uma metamorfose, nos adaptar cada dia, seguindo sempre os príncipios de Deus.
Não pense que sua religião é melhor ou pior que a do outro, porque não é. Sempre existem críticas de uma religião para outra, porém o que muitos esquecem é que Deus é apenas um e Ele nos ama acima de tudo.
Conhecer a palavra de Deus não é o suficiente, é preciso senti-lo, entrar em comunhão com Ele, deixar os problemas um pouco de lado, observar todas as maravilhas que Ele criou. Abrir a janela e ver como é lindo o céu, caminhar na areia olhando para o mar, e perceber como é perfeito tudo aquilo.
Tenho uma dica para todos, um dia em vez de entrar na igreja e ficar preso entre quatro paredes, vá ao lugar que acha mais bonito,mesmo que seja do outro lado da rua ou do outro lado do mundo. Abra a bíblia e então sim, de todo seu coração não apenas à leia mais também observe todas as maravilhas que Ele nos deixou. Agradeça por tudo e também peça perdão pelo que fez. Depois disso verá qual é a real comunhão com Deus de que todos precisam.
"O ontem foi história, o amanhã é um mistério, viva intensamente o hoje, porque ele é uma dádiva que Deus nos concedeu, e nos deu como PRESENTE".


"Que Deus ilumine seus passos e te de forças para realizar todos os seus sonhos".

Emily disse...

Professor, gostei muito desse artigo.

Concordo e acho verdadeira a colocação sobre “11° mandamento” em fazer o que se quer sem ser apanhado, o que na maioria das vezes acontece; as pessoas perderam o senso da verdade, precisam acordar e ver o verdadeiro sentido da vida, olhando em volta a criação de Deus e a natureza toda, a grandeza e a beleza deste mundo que na maioria das vezes é esquecido e ignorado.

Também falando em falta de amor e desrespeito entre as pessoas, tendo em vista o mandamento mais importante da Bíblia citado em

Mateus 22:37-39 – “Ame o Senhor seu Deus com todo o coração, com toda a alma e com toda a mente. Este é o maior mandamento e o mais importante. E o segundo mais importante é parecido com o primeiro: Ame os outros como você ama a você mesmo.”

E também gosto muito desse texto bíblico

Tito 2:11-13 “Porque Deus revelou a sua graça para dar a salvação a todos. Essa graça nos ensina a abandonar a vida descrente e as paixões mundanas, para vivermos neste mundo uma vida controlada, correta e dedicada a Deus. Ela também nos ensina a viver esperando o dia feliz, em que aparecerá a glória do nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo.”

Bruna 3ao disse...

Gostei muito do assunto, pois no mundo em que vivemos parece que a hipocrisia toma conta de tudo. Como disse Mahatma Gandhi "Eu seria um cristão se não fossem os cristãos". É muito fácil dizer ser cristão, pois isso virou moda hoje em dia. O que mais se vê são pessoas carregando uma Bíblia embaixo do braço tiradas de uma estante apenas nos dias de culto, pessoas lotando igrejas, seguindo a órdem de líderes religiosos que são contrários ao que está escrito na Bíblia e pessoas buscando a Deus até mesmo por interesses materiais. Em Thiago 1:22-25 lemos: "Sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos
porque se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor é semelhante ao varão que contempla no espelho seu rosto natural, porque se contempla a si mesmo e foi-se e logo se esqueceu de que tal era. Aquele porém que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas fazedor da obra, este tal será bem aventurado no seu feito".
Eclesiastes 12:13 "Tudo que se tem ouvido o fim é: Teme a Deus e guarda seus mandamentos porque este é o dever de todo o homem."

Brenda Wolff Testoni - 3ªº disse...

Ótimo texto professor, nos faz ver como o mundo de hoje em dia sabe, mas não coloca em pratica o que sabe ou aprende, de nada adianta saber se na pratica se faz totalmente diferente, como cristão devemos saber a teoria e isso deveria nos levar a pratica, mas pelo que vemos não é bem assim que acontece.
Assim sendo um cristão só na teoria e não na pratica a primeira tribulação que ele se deparar ele desistirá assim como o homem que construiu sua casa na areia, mas aquele que alem de saber a teoria consegue colocar na pratica esse será como o homem que construiu sua casa na rocha.
Isso não significa que precisamos passar nosso tempo só com Ele, claro que Ele merece nosso tempo e dedicação, mas penso que o que Ele quer é que vivemos para Ele e que a gente possa ser exemplo para tantas outras pessoas que não O conhecem, muitos mesmo indo há igreja e ouvindo da palavra saem dali exatamente como entraram sem ser tocados, e continuam vivendo sua vida sem viver para cristo, isso também acontecem com muitos teólogos que hoje em dia buscam saber tudo sobre a bíblia, buscam entende-la mas de que adianta saber e não praticar?
Concordo com o Paulo, o Justin e a Jordane , acho que Deus tem que ser maior do que nos, em nos para que não fiquemos apenas no conhecimento e passamos a demonstrá-lo através das nossas atitudes, do contrario disso de nada valera nosso conhecimento da palavra.

Rodrigo Akira Watanabe 3ao. disse...

Gostei do artigo professor, muito interessante o tema do mesmo.

“Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não praticante, assemelha-se ao homem que contempla, num espelho, o seu rosto natural; pois a si mesmo se contempla, e se retira, e para logo se esquece de como era a sua aparência. Mas aquele que considera, atentamente, na lei perfeita, lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negligente, mas operoso praticante, esse será bem-aventurado no que realizar.” Tiago1:22-25

Após ler o seu artigo encontrei esse texto que se refere exatamente ao tema do seu artigo. Também achei bem interessante a analogia que esse texto traz, pois se não praticarmos o que ouvimos, aprendemos, lemos não terá validado nada termos feito essas coisas, pois logo as esqueceremos.
Quanto mais conhecimento uma pessoa tem maior é a responsabilidade que ela tem sobre suas costas, pois deve agir de acordo com ele, pois os frutos que produzimos revelam quem somos, e são os bons frutos que Deus espera de nós. Mas, como alguns comentários já disseram, nós por nós mesmo jamais conseguiremos viver e praticar os mandamentos de Deus, precisamos pedir ajuda a Ele e nós receberemos poder dos altos céus e o seu Santo Espírito para cumprirmos o Seu querer. Ele deve viver em nós, ou seja, nós devemos viver como Ele viveria a nossa vida.

E assim, não devemos nos deixar influenciar pelas opiniões alheias (do mundo), devemos nos manter firmes em toda a Sua Palavra e influenciarmos o meio em que vivemos. Este é o desafio que nos é colocado diariamente.
Que Deus nos abençoe e ajude-nos a vivermos cada dia de acordo com a Sua vontade e termos uma melhor comunhão com Ele.

Concordo com a opinião do Paulo, da Jeniffer e da Fabiana

Mônica Crepaldi Bueno 3ªº CAJ disse...

Muito bom o texto.
Acho que ele nos serve como um puxão de orelha, pois muitas vezes nos preocupamos tanto com a aparência, com o que as pessoas vão pensar de nós e por isso tentamos obter conhecimento para que as pessoas pensem que somos dedicados e que fazemos isso por amor a Deus, quando na realidade estamos apenas tentando ser um melhor que o outro.
Um outro aspecto importante que o texto trata é o fato de que muitos pensam que o pecado é ser apanha e não o ato em si, sabemos que isso não é verdade, pois mesmo que as pessoas não venham a saber, Deus sabe e Ele é quem nos julga. Além do pecado temos que lembrar do testemunho que estamos dando, um testemunho que afasta as pessoas de Deus, em vez de aproximá-las.
Que ao ler este texto nós possamos avaliar nossas vidas e fazer com que elas mostrem, em todo o momento, o amor e cuidado de Deus por nós.
Deus abençoe.

Diogo Borba Schulz 3 º ANO CAJ - S disse...

Realmente esse artigo ficou muito bom.

Em nossos dias, pode-se dizer que muitos já conhecem a mensagem que a bíblia nos revela, pode ser que não numa totalidade, mas sabem o básico de suas histórias, recomendações, e até mesmo as leis, mas deste numero de pessoas que conhecem, um numero muito menor coloca em pratica.
Na realidade o mundo hoje diz que já não possui mais tempo para uma religião, pois é preciso de tempo e esforço para colocar em pratica tudo que é imposto por uma religião. Por esse motivo, foram surgindo muitas e muitas igrejas diferentes que se adaptam ao gosto dos seus membros, de uma forma geral isso torna mais possível para muitas pessoas encontrarem uma religião que se adéqüe a seu dia-a-dia.
No meu ver não há sentido em seguir uma religião que apesar de ensinar do amor de Jesus, falar que ele morreu na cruz para nos salvar, e que voltará para nos buscar (algumas nem isso falam), sendo que não ensinam a ser salvo, querendo ou não, um pecador que não se arrepende de seus pecados não entrará no reino dos céus, e como saber o que é ou não pecado? Por meio da lei, a desobediência da lei é o pecado, a lei que foi escrita pelos dedos de Deus, e hoje é totalmente acessível na bíblia, e é essa lei que muitas religiões não seguem, e em minha opinião não adianta seguir só quatro, sete ou nove dos dez mandamentos, tem que seguir todos, se deixar de guardar um, seria como não guardar nenhum.
Então, cada pessoa, independente de religião, deve buscar conhecimento, buscar entender as leis, e colocar em pratica o que aprender, desejo a todos um bom enriquecimentos de conhecimentos, e que Deus nos abençoe!

Anne Louis disse...

Achei muito bom este artigo professor
e concordo com ele.

Muitos "cristãos" hoje em dia, vão às igrejas
Sentam nos bancos ouvem a palavra de Deus, mais depois da porta da igreja, não ha usam em suas vidas, não as vivem.
E de nada adianta você saber a palavra se não a pratica, isso não te leva a lugar algum.

Hoje em dia só se percebe quem é cristão quando você pergunta depois de uma longa conversa, o que deveria ser diferente, pois um cristão deve ser reconhecido através das suas atitudes.

Mais muitos cristão tem vergonha
Por que hoje na nossa sociedade existe muita discriminação, e acabam escondendo e até ignorando Deus.
Muitas vezes por causa das influencias que nos prejudicam , com isso prejudicando a sua vida com Deus.
E deveria ser bem o contrario, nos cristão deveríamos influenciar o mundo com a palavra de Deus. Mais infelizmente não é isso que acontece.
Nossa obrigação deveria seguir a bíblia viver os 10 mandamentos que Deus nos deu para nos orientar, nos salvar, porque Deus é fiel a nos , e nos deveríamos ser fiel a Ele.


E concordo com o comentário do Paulo, Jastin e com o da Jordane.

Que Deus o abençoe.

Anne Louise Petters Ruiz, terceiro ano Caj...

André G.Teuber disse...

Concordo com o texto e com os comentários, especialmente o da Fabiana.

O que acontece, é que realmente se vive mais na teoria do que na prática, pois hoje em dia, algumas pessoas acham que quanto mais sabem, mais sao cristãos ou que podem mandar mais, ter moral, etc...

Essa sensação de saber mais da bíblia, e pensar que é cristão de verdade, muitas vezes pode agir de forma enganosa com a mente humana.
Mais isso é bíblico, ou melhor, profético. Aquela "velha" profecia de que o Espírito Santo se retiraria do coração da humanidade no fim dos tempos, não é uma ilusão nem uma utopia, já esta acontecendo! Essa texto prova isso.

Ás vezes, nós paramos e pensamos que essa idéia de o Espírito Santo se retirar do coração humano, irá ser repentina e os homens se tornarão agressivos ou violentos. Agora mesmo, depois de ter escrito, eu pensei se nao estaria me equivocando, falando assim, mas penso, que satanás e seus anjos agem dessa forma, eles vêm nos tentar e nos fazer cair, não com uma aparência feia e assustadora, mas sim com um sorriso, ou algo que pareça amigável.

É o que eu penso. Porque acho qeu essa é uma das profecias que já estam se cumprindo. Parei e pensei, a hipocrisía humana com relação aos assuntos de Deus, a apostasia de membros, a criação de infinitas denominações e religiões, tudo isso está contribuindo para um lento processo da remoção do Espírito Santo da Terra.

É pessoal, vamo abri as baga!

É mais ou menos isso que eu penso, espero que tenha entendido a minha idéia.

ABAIXO O ACORDO ORTOGRÁFICO!!!

Lucas Rocha de Souza disse...

Por mais que as pessoas desacreditem de você, por mais que você seja descriminado da sociedade, você pode fazer muita coisa, pode ser alguém muito importante mesmo que as vezes não seja reconhecido pela sociedade ou alguém acabe ganhando a fama por você. mesmo que tudo isso aconteça você foi uma peça importante para o mundo ninguém é igual a você e Deus sabe disso por isso que ele morreu por cada um de nós, ele veio a terra como rei e não foi reconhecido como tal, ele sofreu e mesmo assim foi morto por nós.
Nós fomos os culpados por sua morte e muitos acham que ele nem existiu, assim podemos ver que nem sempre somos reconhecidos por aquilo que fazemos mas o importante é fazer o que se deve e sempre confiar que Deus está do nosso lado, pois o que fazemos no presente ecoa na eternidade.

Fernanda Manoela Hostin 3ªº disse...

Ótimo artigo está de parabéns, a princípio achei que pouco importaria, mas agora me faz lembrar que na Bíblia em Matheus 24.24 diz: ‘‘ Porque surgirão falsos cristãos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais prodígios que se possível fora, imaginariam ate os escolhidos. Eis que eu vo-lo tenho predito ’’. Há varias outros versículos, em 1João 4,1 e 2Corintios 11,26. Enfim estamos vendo já os falsos profetas; usando a mesma frase ‘‘ conhecimento por si só, não possui poder de transformar a conduta de vida. Mesmo que estejamos tratando de conhecimento da Bíblia’’. Não adiantamos ser inteligente capacitado, eficiente, sem a sabedoria de entendimento que só Deus tem nós. Vemos que o ‘ Homem está cada vez mais se fechando em todos os sentidos, bíblicos, espirituais, sociais, entrando em um buraco onde só Deus pode tirar. A vida espiritual cada vez mais decadente, pois ouvir só não adianta e sim o prático parece que não existe mais. As pessoas vão para a igreja muitas vezes só para marcar presença, não é disso que Deus espera de nós. Os cristãos devem ser os exemplos dentro e fora da igreja e não fingir que são dentro e praticar a iniqüidade e muitas outras coisas que desagradem a Deus.

Byanca 3ªº CAJ disse...

Muito bom o texto professor, retrata a sociedade em que vivemos hoje em dia, uma sociedade muito pobre.
...
Deveríamos seguir a Cristo por amor e não por obrigação.
Quando O amamos de verdade nós mostramos nas pequenas atitudes a presença dEle em nossa vida e O colocamos em primeiro lugar. Ele deve ser mostrado aos outros com naturalidade e não por hipocrisia, apenas para nos vangloriar.
A nossa relação com Ele precisa crescer dia-a-dia,se tornar mais forte para podermos vencer qualquer barreira.
Pois nós "tudo podemos naquele que nos fortalece".

Byanca Aparecida Voss 3ªº

ketlyn disse...

Muito bom o texto professor, retrata a sociedade em que vivemos hoje em dia, uma sociedade muito pobre.
...
Deveríamos seguir a Cristo por amor e não por obrigação.
Quando O amamos de verdade nós mostramos nas pequenas atitudes a presença dEle em nossa vida e O colocamos em primeiro lugar. Ele deve ser mostrado aos outros com naturalidade e não por hipocrisia, apenas para nos vangloriar.
A nossa relação com Ele precisa crescer dia-a-dia,se tornar mais forte para podermos vencer qualquer barreira.
Pois nós "tudo podemos naquele que nos fortalece".

Byanca Aparecida Voss 3ªº

Daniel Lucas Guedes Moreno 3ªº disse...

O texto proposto é bem entendido em poucos parágrafos.O assunto se estende demais para expressar uma verdade tão clara.Foi escrito para nós adolescentes? Mas muito bom para uma reflexão!

Sim, conhecimento apenas não basta, mesmo no campo espiritual é preciso crer e arregaçar as mangas,porque a fé sem obras é morta.
Não podemos deixar de ressaltar também aquele famoso caso de que há pessoas que usam máscaras! Na igreja com os irmãos se fazem corretos e tem uma personalidade boa,e fora da igreja fazem coisas totalmente indevidas. Isso não deve acontecer,e espero que nós do terceirão e/ou a nossa turma,nunca venhamos a ser essas pessoas que se escondem por trás de máscaras!

E como o professor mesmo citou a passagem da bíblia no texto,expresso-me e e tento passar meu pensamento com a mesma : “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Romanos 12:2, NVI.

Camilli Martins 3ªº CAJ disse...

“Ser ou parecer ser, eis a questão”
O ser humano é impotente diante das paixões que dominam o coração. Isso é natural devido sua natureza pecaminosa. Apenas com o poder de Deus se torna possível vencer tais tentações.
Porém, além de pecar, o homem, numa tentativa de superioridade, tenta demonstrar que não errou. Isso não anula a transgressão, só o leva ao ato de hipocrisia.
Como então ser “transparente” em um mundo onde a busca pelo reconhecimento social vem acima do simples ser?
Não há fórmula correta ou prescritível. Quando o homem encontra, acredita e aceita Jesus, a única vontade que tem é de fazer por amor a sua vontade. Esquece os preconceitos da sociedade e seus antigos princípios.
Não estará exímio do fracasso, entretanto a hipocrisia não fará parte do seu dicionário.